top of page

Para além da polaridade



Como construir o presente que se quer, saindo do discurso do ódio, da intolerância, da mentira, de olhar o outro como ameaça, de querer fazer prevalecer a nossa verdade? Como sair da misoginia, racismo, fascismo, e dos outros "ismos" que nos paralisam?



Nossa realidade social é um fato concreto: desigualdades de acesso e oportunidade para todas e todos, com os preconceitos e as mazelas sociais que tão bem conhecemos e que muitas vezes fazemos questão de apontar.



Como sair do lugar em que nos colocamos, muitas vezes as bolhas nas quais vivemos? Como sair do discurso para a ação? Como construir as necessárias pontes e atalhos, depois de anos compondo ilhas?


Desenvolver acordos pode ser um caminho: um acordo no qual cada um se sinta vivo, representado e, ao mesmo tempo, consiga ver verdadeiramente o outro. Cada qual levando as próprias imperfeições e desejos, mas com uma chama comum que busca construir algo melhor.


(Re)construir a partir de tecidos esgarçados é mais difícil, mas não é impossível. Talvez seja essa uma atitude possível: a escuta atenta e amorosa, para permitir o novo que vai surgir.


O que é esse novo?


Martin Buber (1878-1965) fala em construir sem destruir, criando um fluxo de doação e entrega criativa, mãos que se unem em um mesmo laço em busca da comunidade que desejamos.


Essa tarefa começa no dia 31 de outubro de 2022!



15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page